top of page
Buscar

Saiba como investir de forma correta em ferramentas de backup em nuvem



Backup em Nuvem é uma ferramenta econômica desde que atenda às necessidades do usuário


O investimento em Tecnologia da Informação (TI) aumentou consideravelmente nos últimos anos. Mesmo com a crise financeira no País, diversos setores do mercado não deixaram de investir em serviços como backup em nuvem e outras automações, capazes de reduzir custo e tempo de trabalho. O armazenamento na nuvem satisfaz também a necessidade do acesso a dados e informações sem barreiras físicas. Porém, com o aumento da oferta de serviços de upload em nuvem, muitos empreendimentos encontram dificuldades em garantir o principal benefício dessa tecnologia: a economia.

Conforme pesquisa do Centro de Tecnologia de Informação Aplicada (GVcia) da Fundação Getúlio Vargas (FGV), grandes e médias empresas do setor de serviços investiram 8% de suas receitas dos últimos três anos em TI. Em cloud computing, entretanto, empresários e até mesmo gestores de equipes de TI ainda preferem ferramentas comuns no mercado digital, como o Dropbox e o ICloud, por exemplo. São alternativas economicamente mais viáveis aos data centers físicos, que estão expostos a acidentes naturais, falhas elétricas e outras falhas de segurança.

Assim, o backup em nuvem proporciona uma economia direta na Despesa de Capital (Capital Expenditure – Capex), ou seja, nos investimentos em bens de capital. Essa redução de gastos já é bem vista principalmente em organizações de Saúde. Mas, além disso, tem a redução de gastos com equipes internas para manutenção de data centers e também terceiros para recuperação e execução do backup. Dois aspectos importantes podem ser analisados antes de investir em backup em nuvem:


Complexidade dos dados

Dropbox, Google Drive, Icloud e outras aplicações para armazenamento e backup em nuvem são mais focados para usuários ou empreendimentos com pouca demanda para upload. Os arquivos e dados são enviados automaticamente para nuvem e, dependendo do plano contratado, o sistema é todo automatizado reduzindo o tempo gasto com a operação. As ferramentas mais comuns disponíveis no mercado podem ser uma solução momentânea para o negócio. Porém, com o passar do tempo, crescimento do empreendimento, ampliação de filiais, por exemplo, será necessário aumentar o plano contratado ou mesmo procurar uma solução que atenda a quantidade dos dados armazenados.

Além disso, serviços contratados diretamente pela internet, sem a avaliação de um consultor, não garantem o upload de todo e qualquer tipo de arquivo e informações. Fotos, vídeos, planilhas são facilmente armazenados em nuvem por qualquer ferramenta, mas nem todas garantem o backup de máquinas virtuais como, por exemplo: VMware Workstation, VMware Player, VMware vSphere (ESX), Microsoft Hyper-V, Citrix XenServer, RedHat KVM e Oracle VirtualBox.


Interrupção de processos

Mesmo que as empresas de ferramentas de backup em nuvem prometam automação total, certamente em algum momento um colaborador da empresa terá que acionar o backup. Além disso, o envio de arquivos e dados para a nuvem pode comprometer a velocidade de funcionamento de computadores, reduzindo a execução de processos internos da empresa. Em muitos negócios é comum iniciar o backup após o expediente, quando poucos colaboradores estão usando a rede.

Isso pode recair no mesmo problema dos data centers: com nenhum técnico acompanhando o backup, acidentes como queima de máquinas e quedas de energia podem atrapalhar o andamento do envio dos dados. Por isso, investir em ferramentas modernas, com backup incremental e automação total pode evitar gastos futuros.

12 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page